voltar VOLTAR
HEROIS DA SAÚDE

cuidadoras

(1914 - 1992)
Ana Neri
(1814 - 1880)
ana_neri

Ana Neri

1814 1880
  • 1843Fica viúva aos 29 anos, com 3 filhos para cuidar.
  • 1865 Aprende as primeiras noções de enfermagem com as irmãs de caridade de São Vicente de Paula, no Rio Grande do Sul… e vai como voluntária para as frentes de batalha da Guerra do Paraguai (1865 a 1870), aos 51 anos.
  • 1865 Implanta uma enfermaria-modelo em sua casa, em Assunción, capital paraguaia, sitiada pelo exército brasileiro.
  • 1870 Volta do Paraguay com 6 meninas órfãs brasileiras, as quais cuida e educa.
Ilustração de Ana Neri. Fonte

Ilustração de Ana Neri. Fonte

Ana Justina Ferreira Neri nasceu  na Vila Nossa Senhora do Rosario do Porto de Cachoeira do Paraguaçu (Cachoeira), em 13 de dezembro de 1814. Viúva do capitão-de-fragata Isidoro Antônio Néri viu seus familiares mais próximos serem convocados para a Guerra do Paraguai e solicitou  ao presidente da Provincia da Bahia poder acompanhar os filhos e o irmão, ou pelo menos prestar serviços voluntários nos hospitais do rio Grande do Sul, no que foi atendida. Embarcou, em Salvador, com  a tropa do 10o Batalhão de Voluntários da Pátria em agosto de 1865, na qualidade de enfermeira.

Serviu, portanto, como voluntária na Guerra do Paraguai (1864-1870), como auxiliar do corpo de saúde do Exército brasileiro. A partir deste contexto ofereceu seus serviços como enfermeira ao presidente da província enquanto durasse o conflito. Durante toda a Guerra do Paraguai, prestou serviços nos hospitais militares de Salto, Corrientes (Argentina), Humaitá e Assunção (Paraguai), bem como nos hospitais da frente de operações. Viu morrer na luta um de seus filhos e um sobrinho. Faleceu no Rio de Janeiro, em 1980, aos 66 anos de idade.  Ana Neri foi contemporânea de Florence Nightingale (foi quem criou a primeira escola de enfermagem no mundo, em Londres, 1860), mas não existem indicações de que elas sabiam da existência uma da outra. No entanto, foram semelhantes na maneira de agir: ambas ricas, estudadas, cultas e poliglotas, severas e disciplinadoras e dedicadas às tafefas de cuidar dos sofredores nas guerras em que participaram ativamente (Ana, na Guerra do Paraguai e Florence, na Guerra da Criméia – atual Ucrânia).

Durante a guerra Ana Neri enfrentou o caos da saúde no país quando as doenças proeminentes da época eram a Cólera, febre tifóide, disenteria, malária e varíola. Durante toda a Guerra do Paraguai prestou serviços nos hospitais militares de Salto, Corrientes (Argentina), Humaitá e Assunção (Paraguay), bem como nos hospitais de campo, na frente de operações militares. Em sua convivência diária com os médicos, no trato conjunto das obrigações, adquiriu conhecimentos terapêuticos, mas o bom senso aliado ao seu olhar de mãe que cuida  de filhos doentes muitas vezes fez prevalecer sua opinião aos médicos.

Ilustração Guerra do Paraguai por Cándido López. Fonte:es.wikipedia.org/wiki/Cándido_López_(pintor)

Ilustração Guerra do Paraguai por Cándido López. Fonte: Wikpédia

A enfermeira conseguiu transformar a realidade sanitária local, impondo condições mínimas de higiene para que doenças não se alastrassem e feridas fossem tratadas. Na luta pela recuperação dos pacientes eram usados recursos da época como iodo, cloreto de potássio, água fenicada e cauterização, além de beberagens de plantas medicinais. É considerada a primeira pessoa não-religiosa a dedicar-se aos cuidados com a saúde de uma comunidade ou população, considerada a primeira enfermeira do Brasil. O governo imperial conferiu-lhe a Medalha Geral de Campanha e a Medalha Humanitária de primeira classe.

Naquelas condições difíceis, organizou os hospitais de campanha e a primeira enfermaria foi montada em sua própria casa, em Assunção, e às suas expensas. Metodizou as tarefas em busca da eficácia, com olhos humanitários e a alma voltados tanto para os cuidados dos combatentes daTríplice Aliança (Brasil, Uruguai e Argentina), quanto para os soldados do invasor Paraguai, indistintamente.

Ana Neri com as Crianças que ela adotou quando voltou da Guerra. Fonte: Grisard e Vieira.

Ana Neri com as Crianças que ela adotou quando voltou da Guerra. Fonte: Grisard e Vieira.

O seu maior legado pode ser considerado a abnegação e a perseverança na prática do cuidar do próximo, a organização sistemática e a humanização no cuidar dos doentes.

Precursora da Cruz Vermelha, é considerada a primeira enfermeira do Brasil. Em sua homenagem a primeira escola oficial brasileira de enfermagem de alto padrão no país foi denominada Ana Neri (1923). Em 10 de agosto de 1938, o presidente Getúlio Vargas, assinou o decreto nº 2.956  instituindo o dia do enfermeiro, que deve ser celebrado em 12 de maio. Nessa data devem ser prestadas homenagens especiais à memória de Ana Neri, em todos os hospitais e escolas de enfermagem do país.

Como citar esta página: – Brazil, T.K. (organizadora), Sales, S. M., Portella, S.D.C.. Ana Justina Ferreira Neri. Museu Interativo da Saúde na Bahia. Disponivel em: http://www.misba.org.br/heroi/ana-justina-ferreira-neri/. Acesso em: 18/12/2017 09:56:05.